Atômica
03 ago

Atômica

Filmes

Julia Giarola

Filme: Atômica
Título original: Atomic Blonde
Data de lançamento: 03 de agosto de 2017
Duração: 1h 51min
Direção: David Leitch
Gênero: Ação, Espionagem
Nacionalidade: EUA

Sinopse: Lorraine Broughton, uma agente disfarçada do MI6, é enviada para Berlim durante a Guerra Fria para investigar o assassinato de um oficial e recuperar uma lista perdida de agentes duplos. Ao lado de David Percival, chefe da localidade, a assassina brutal usará todas as suas habilidades nesse confronto de espiões.

Após o sucesso de Mulher-Maravilha (confira nossa crítica aqui), a confiança em filmes com mulheres protagonistas cresceu imensamente, abrindo uma espaço cada vez maior para ótimas personagens em ótimas produções. Não só isso, mas o público também demonstrou uma “sede” por estes tipos de filmes, ressaltando ainda mais a deficiência do mercado. Atômica, então, veio para testar essa audiência que tanto amou o novo filme da heroína da DC Comics. Com uma abertura emocionante e estilo definido, o filme promete desde o começo.

O roteirista Kurt Johnstad faz a escolha de contar a história de maneira não linear, com a personagem de Charlize Theron, Lorraine Broughton, narrando os acontecimentos do filme em um interrogatório. Esta, porém, não foi uma boa decisão, principalmente por se tratar de um filme de ação, tirando o risco das cenas de lutas e com isso a tensão que deveria ser construída durante as situações do longa, pois desde o começo sabemos que a protagonista está viva, mesmo após todo o desenrolar dos eventos da história.

O filme criou uma expectativa antes de sua estreia, iniciando a discussão de uma possível franquia para a personagem como a de James Bond, Jason Borne e John Wick. Porém o filme não faz um bom trabalho engajando a audiência o suficiente para importar com os personagens. Diferente de Bond, Borne e Wick, a trama não é envolvente, fazendo com que o filme dependa muito do estilo visual, das atuações, sequências de ação e trilha sonora, todos que funcionam muito bem como uma distração, mas que não suprem a falta de engajamento da história, trazendo o filme à um nível abaixo de onde deveria estar em um contexto mais amplo, considerando a falta de substância. O enredo em si não é interessante como o restante do filme, que apresenta uma design incrível e ótima direção. Não é uma história ruim, mas nada muito surpreendente acontece. Quando o enredo trás consigo está deficiência, normalmente existe uma sub-trama que ajuda a desenvolver os personagens, mas não é o caso de Atômica, que não trás nada além de peças para serem encaixadas na trama sem graça. Isso realmente prejudica os bons personagens que têm muito potencial.

Apesar do descuido da história, o filme é visualmente maravilhoso. O diretor David Leitch possui muita técnica que transparece em sua direção cuidadosa e sofisticada. Os pontos altos realmente são as cenas de luta que são extremamente coreografadas, mas ainda bem realista. O longa não é apenas outro filme de ação, apesar de não ser o que podia ser. Atômica sabe distribuir suas cenas de ação, adicionando certa complexidade em relação aos outros longas do gênero.

O elenco é sólido e com certeza ajuda o filme a encontrar seu melhor desempenho. Charlize Theron lidera o filme como uma agente enviada para Berlim durante a Guerra Fria para investigar o assassinato de um oficial e recuperar uma lista perdida de agentes duplos. Sua presença na tela é surpreendente, assim como suas habilidades de realmente “vender” suas cenas de luta. Seu sotaque durante o filme, porém, não bom, distraindo um pouco de sua boa atuação. James McAvoy finalmente consegue seu momento, com mais um filme notado em 2017, este que tem sido um excelente ano para o ator. Saindo do sucesso de Fragmentado, ele continua seu ótimo trabalho neste filme, se destacando no elenco.

Atômica é uma experiência divertida, mas perdeu a oportunidade de ser algo mais; perdeu a oportunidade de ser um filme realmente marcante para mulheres protagonistas e para filmes de ação em si. Apesar de tudo, este ainda é um filme que merece ser visto, pois seus defeitos não são predominantes sobre suas muitas qualidades.

Nossa nota é:

Assista ao trailer:

Leia também

Comentários